Cindes
Senai
Sesi
Iel
Ideies
IRI

Circuito Virtuoso da Indústria de Óleo e Gás apresenta potencialidades do Espírito Santo

Representantes de operadoras, fretadoras e fornecedores do setor de óleo e gás participaram do RoadShow

Representantes de operadoras, fretadoras e fornecedores do setor de óleo e gás participaram do RoadShow

Aproximar operadoras, fretadoras e fornecedores da cadeia de óleo e gás, apresentar potencialidades do Espírito Santo e gerar novas oportunidades para a indústria capixaba. Foi com estes objetivos que aconteceu, nesta terça-feira (12), o Circuito Virtuoso da Indústria de Óleo e Gás no Espírito Santo. O roadshow, com deslocamento realizado pela Vix Logística, foi realizado no município de Aracruz, onde estão instalados o Estaleiro Jurong, a Imetame e a Fibria.

Promovido pelo Ministério de Minas e Energia, pela Onip, pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento e pela Findes, o Circuito Virtuoso buscou ampliar a competitividade e a inserção das indústrias capixabas na cadeia produtiva. Além da visita às empresas realizadoras do evento, foram apresentados cases de sucesso do Fórum Capixaba de Petróleo e Gás.

Potencialidades do Espírito Santo

O governador Paulo Hartung esteve presente e ressaltou as potencialidades da região. “Aracruz é uma das locomotivas do desenvolvimento do Estado. Temos a Fibria, a maior produtora de celulose do mundo; o estaleiro da Jurong, com a melhor infraestrutura do Brasil; e ainda o futuro terminal portuário da Imetame. E além disso tudo, o ramal ferroviário da Vitória – Minas, nos ligando ao Brasil central e que atualmente está subutilizado”.

O secretário nacional de Petróleo e Gás, Márcio Felix, foi um dos idealizadores do evento e falou da importância desse encontro para o Espírito Santo. “O Estado tem um potencial enorme a ser explorado e foi esse o motivo de termos o escolhido pra lançar o Circuito. Vamos continuar conectando pessoas e empresas para fortalecer toda a cadeia produtiva Capixaba”.

O industrial Luis Cordeiro, vice-presidente da Findes, reforçou aos presentes o papel da Federação. “Temos feito um trabalho incessante para melhorar o ambiente de negócios do Estado. Para isso, implementamos uma série de ações, entre elas as 10 medidas contra a burocracia, inclusive assinadas na última semana com a Prefeitura de Aracruz. Além disso, vamos lançar em breve o Anuário do Petróleo e Gás, que vai reunir informações estratégicas sobre o cenário econômico capixaba e contribuirá com os investidores na tomada de decisão”.

Segundo maior produtor de petróleo do país, o Espírito Santo representa 15% do volume nacional, com cerca de 500 mil barris por dia. A cadeia de petróleo e gás no ES gera atualmente 9.680 empregos formais. Os campos petrolíferos se localizam em terra e mar, em águas rasas, profundas e ultraprofundas.

Conheça um pouco mais das indústrias anfitriãs do evento:

Estaleiro Jurong Aracruz

Mais novo estaleiro integrado do Grupo Sembcorp Marine de Cingapura no Brasil, o Estaleiro Jurong Aracruz está localizado em área privilegiada no litoral do município de Aracruz. Projetado e construído para atender aos mais modernos padrões mundiais de tecnologia para área naval e offshore, o Estaleiro Jurong Aracruz (EJA) realiza a construção de navios-sonda, unidades semissubmersíveis, jack-ups, navios petroleiros, plataformas e embarcações de apoio, bem como integração de FPSOs, fabricação de módulos para plataformas de petróleo, reparos navais, modificação e modernização de embarcações.

As instalações estado da arte do Estaleiro Jurong Aracruz estão distribuídas em uma área de 825.000 m², incluindo um cais de atracação com extensão de 920 metros, instalações auxiliares de fabricação de tubulações e oficinas de corte e processamento de chapas de aço com capacidade de quatro mil toneladas de aço por mês. Entre os equipamentos em destaque, o estaleiro conta com o L3602, o maior guindaste flutuante da América Latina com capacidade de içamento de 3600 toneladas. O Estaleiro Jurong Aracruz está localizado estrategicamente próximo aos campos do pré-sal brasileiro e posicionado para atendimento das demandas da indústria de petróleo e gás do Atlântico e Golfo do México.

Imetame

Com 37 anos de história, a Imetame Metalmecânica, com sede situada em Aracruz, atua em todo o território nacional. É especializada em serviços de fabricação, montagem e manutenção mecânica industrial com destaque nos segmentos de Celulose e Papel, Siderurgia, Mineração, Petróleo e Gás, Geração de Energia e Cimento.  Como extensão dos negócios, a empresa possui bases com modernas instalações no litoral de Aracruz (Barra do Riacho) e em Macaé/RJ, atendendo a montagem de equipamentossubsea, módulos para FPSO e manutenção offshore.

Ao longo dos anos, a Imetame diversificou seus negócios. Além da metalomecânica, fazem parte do grupo: Imetame Logística (Porto com conceito multipropósito), Imetame Energia (exploração e produção de petróleo e gás natural onshore e produção de energia), Imetame Pedras Naturais (extração e exportação de rochas ornamentais) e Imetame Monte Serrat (extração de blocos de granito).

Fibria

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria é uma empresa que procura atender, de forma sustentável, à crescente demanda global por produtos a partir da floresta plantada. Faz parte da estratégia da empresa desenvolver, a partir de seus plantios florestais, produtos e serviços de alto valor agregado, que saiam do conceito de commodity e possam substituir derivados fósseis como fonte de matéria-prima. Nessa linha, a empresa planeja produzir bio-óleo (combustível renovável gerado a partir da biomassa) e lignina (componente da madeira que é fonte de produtos alternativos aos derivados do petróleo), além da nanocelulose (material resistente e leve, obtido a partir da celulose), que já vem sendo produzida pela empresa em escala experimental.

Com capacidade produtiva de 7,25 milhões de toneladas de celulose por ano, a Fibria conta com unidades industriais localizadas em Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Três Lagoas (MS), além de Eunápolis (BA), onde mantém a Veracel em joint-operation com a Stora Enso. A companhia possui 1,056 milhão de hectares de florestas, sendo 633 mil hectares de florestas plantadas, 364 mil hectares de áreas de preservação e de conservação ambiental e 59 mil hectares destinados a outros usos. A celulose produzida pela Fibria é exportada para mais de 35 países e matéria-prima para produtos de educação, saúde, higiene e limpeza.

VIX Logística

Especializada em soluções logísticas customizadas, a VIX Logística é uma das maiores empresas do setor no país. Atua em locação e gestão de frotas, traslados de pessoas, movimentação de cargas, armazenamento, logística interna, gestão de inventário, transporte rodoviário, operações portuárias, logística automotiva e logística dedicada, com operações que vão de norte a sul do Brasil e também no Mercosul.

Em 2016, a empresa fechou o ano com 7,2 mil colaboradores, faturamento de R$ 1 bilhão e uma frota de aproximadamente 5,1 mil veículos e equipamentos. Com boas práticas em qualidade, meio ambiente, saúde e segurança, a busca pela excelência no atendimento já rendeu conquistas e reconhecimentos como o Prêmio As Melhores da IstoÉ Dinheiro, As Melhores na Gestão de Pessoas (Valor Carreira) e também o Prêmio Fornecedor de Valor, da Vale.

Read More
Coletiva de Imprensa Produção Industrial Capixaba

Produção industrial do ES é 5ª melhor do país em outubro

Coletiva de Imprensa Produção Industrial Capixaba

O presidente do Sistema Findes, Léo de Castro, apresentou os números da indústria capixaba à imprensa durante coletiva

O desempenho da indústria capixaba ficou acima da média nacional, na passagem de setembro para outubro, segundo dados divulgados pelo IBGE e apresentados pelo Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies) em coletiva nessa sexta-feira (08). A indústria capixaba ampliou +0,5% e apresentou o quinto melhor resultado entre as unidades da federação. Já o país aumentou sua produção em 0,2%.

Para o presidente do Sistema Findes, Léo de Castro, o crescimento da produção física industrial, da arrecadação de impostos e da geração de empregos mostra que o Estado está entrando em um período melhor e que 2018 deve acompanhar a tendência apresentada. “Nosso olhar é muito otimista para frente”, acrescentou.

No acumulado em 12 meses, a indústria capixaba avançou +1,8% em outubro deste ano, taxa positiva mais elevada desde dezembro de 2015. Esse resultado conferiu ao Espírito Santo o quinto melhor ganho de ritmo de crescimento da produção física industrial.

No acumulado entre janeiro e outubro deste ano, a indústria capixaba cresceu +2,5%. O avanço está associado ao comportamento positivo de três setores: produtos alimentícios (+14,2%), puxados pelos itens carnes de bovinos frescas ou refrigeradas, açúcar cristal, e massas alimentícias secas; indústrias extrativas (+3,3%) e celulose, papel e produtos de papel (+1,5%), explicado, principalmente, pela maior fabricação de pastas químicas de madeira (celulose).

“O crescimento do setor de alimentos se deve à combinação de alguns fatores da economia, como a deflação de 0,03 apresentada pelo Estado em outubro. A indústria de alimentos cresce com a retomada do poder de compra. Com a inflação em queda, a recessão dos juros e a liberação de crédito, o poder de compra aumenta. E o setor alimentício é o primeiro a reagir”, explicou Castro.

Outros dois setores analisados apresentaram queda: metalurgia (-0,7%) e minerais não-metálicos (-5,6%), que se deve pela redução da produção de tubos flexíveis e tubos trefilados de ferro e aço; e de granitos talhado ou serrado e cimentos “Portland”, respectivamente.

Convidado da coletiva, o CFO da ArcelorMittal, Paulo Wanick, apresentou as ações da empresa para aumento de produtividade, as previsões de investimentos e geração de emprego para o próximo ano.

Read More

Findes apoia retomada das operações da Samarco durante audiência pública

Uma comitiva formada por 28 representantes da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) expressou seu apoio à retomada das atividades da Samarco durante a audiência pública realizada na cidade de Mariana (MG) nesta quinta-feira (7). Um grupo de Guarapari e Anchieta, onde a mineradora mantem sua sede, também esteve presente.

A audiência pública, que é obrigatória no processo de licenciamento ambiental para permitir a volta da companhia às suas operações, reuniu cerca de 1500 pessoas, entre representantes da sociedade civil organizada e do poder público. Durante o encontro, o presidente da Samarco, Roberto Carvalho, informou que a expectativa é de que a Usina de Pelotização 4 volte a operar a partir de julho do próximo ano e a Usina de Pelotização 3 a partir de dezembro de 2018.

Retomada dos investimentos

A volta do funcionamento da Samarco é aguardada com grande expectativa por atores do setor produtivo capixaba. Léo de Castro, presidente da Findes, já afirmou que a federação está atuando fortemente junto à empresa com o objetivo de superar os entraves que impedem o retorno das atividades da mineradora no Espírito Santo.

“É um desejo de todos nós que a empresa retome as atividades o quanto antes, pois representa 5% do PIB do Espírito Santo. O que a Samarco deixa de arrecadar de ICMS para o Espírito Santo equivale hoje a todo o investimento que o estado está fazendo. Se a Samarco tivesse operando, o estado dobraria a sua capacidade de investimento”, declarou.

 

Licenciamento ambiental

As audiências públicas sobre o Licenciamento Operacional Corretivo do Complexo de Germano foram realizadas nos dias 6 e 7 de dezembro, em Matipó e Mariana (MG), respectivamente, às 19h. Na próxima segunda-feira, 11 de dezembro, está programada a audiência de Ouro Preto, também em Minas Gerais.

Read More

Reforma da Previdência: uma conquista do Brasil

Precisamos encarar um problema que há anos vem corroendo nossos empregos e renda das famílias brasileiras: o déficit crescente do sistema previdenciário. Ele agrava ainda mais o caos nas contas públicas, aumenta a insegurança econômica, reduz o potencial de crescimento do país e imprime uma urgência inadiável à aprovação da Reforma da Previdência.

Ao promover o reequilíbrio das contas públicas, a reforma da Previdência não beneficiará apenas os aposentados e pensionistas. Toda a sociedade ganhará, pois o ajuste das contas públicas, associado a outras medidas de longo prazo que assegurem competitividade das empresas, promoverá o aumento da produção e dos investimentos, estimulará a criação de empregos, geração de renda e o crescimento sustentável da economia.

 

Gastos com previdência afetam investimentos públicos

O elevado custo com benefícios previdenciários reduz muito o espaço para investimentos públicos. No caso da União, por exemplo, as despesas com benefícios previdenciários e assistenciais correspondem a 56% de todas as despesas primárias e a 63% de toda a receita primária projetadas para 2017.

Previdência x expectativa de vida

Para agravar a situação, a população idosa brasileira está aumentando rapidamente, em razão da enorme queda da taxa de natalidade e do aumento exponencial da expectativa de vida. E com as regras atuais, no futuro próximo, o número de pessoas que contribuem para a Previdência será inferior ao dos que recebem aposentadorias e pensões, ou seja, o atual sistema é insustentável. A conta não fecha!

Por isso convocamos a sociedade para, junto com o setor produtivo, conscientizar nossa bancada federal, deputados e senadores, representantes do povo, para que apoiem a Reforma da Previdência, pois ela corrige várias distorções, é socialmente responsável e indispensável para que o Brasil possa voltar a crescer de forma sustentável.

Clique aqui, saiba mais sobre a Reforma da Previdência e por que ela é tão necessária para o país.

Read More

Índice de Confiança na indústria capixaba é o maior em cinco anos

O Índice de Confiança do Empresário Industrial no Espírito Santo alcançou 58,1 pontos no mês de novembro, o maior resultado desde novembro de 2012 (58,9). O resultado representa um crescimento de cinco pontos em relação ao mês anterior, ficando pelo décimo mês seguido acima da linha de divisória de 50 pontos – que sinaliza confiança dos empresários.

A análise, publicada pelo Instituto de Desenvolvimento Industrial e Educacional do Espírito Santo (Ideies) em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), revela que o ICEI no Espírito Santo está 1,6 ponto acima do resultado nacional (56,5). A alta do indicador pode ser explicada pelo otimismo dos industriais capixabas.

Composto por dois índices, o ICEI no Espírito Santo se destaca pelos 60,7 pontos registrados no Índice de Expectativa – acima dos 58,9 do país. O Índice de Condições Atuais, no entanto, está em 52,7 pontos – pouco acima dos 51,5 do índice nacional. Para o presidente do Sistema Findes, Léo de Castro, o indicador reforça o potencial do Espírito Santo.

“Nosso Estado colhe os frutos das escolhas que fez durante a crise. Temos segurança jurídica, equilíbrio fiscal e uma indústria forte, que começa a caminhar na direção da retomada. Nosso PIB cresceu nos últimos três trimestres, temos a expectativa de ver a Samarco voltar a operar e acreditamos que 2018 trará novas oportunidades”, pontuou Castro.

 

Confira mais detalhes lendo o material completo no site do Ideies:

http://bit.ly/IdeiesIcei

 

 

Read More

Commodities avançam e exportações capixabas registram segundo melhor resultado do ano

O Boletim Econômico Capixaba divulgado em novembro pelo Instituto de Desenvolvimento Industrial e Educacional do Espírito Santo (Ideies) aponta que as exportações capixabas avançaram 8% no mês de outubro, alcançando o segundo melhor patamar do ano. O montante de US$ 710,2 milhões perde apenas para março, quando as exportações somaram US$ 761,9 milhões.

O resultado, segundo o documento, está diretamente relacionado à valorização das commodities (2,5% no último mês) e ao avanço de 57,5% da comercialização de produtos semimanufaturados – com destaque para ferro, aço e café. Em relação ao mesmo mês de 2016, o Estado teve crescimento de 55,5%. No ano, acumula 26,5% de alta, com total de US$ 6,6 bilhões de janeiro a outubro.

O documento publicado pelo Ideies trata também sobre os resultados do Governo do Estado nos últimos anos e joga luz sobre o ajuste fiscal realizado a partir de 2015. “As despesas com pessoal também foram reduzidas de 2015 para cá e, mesmo com queda acentuada na Receita Corrente Líquida, a relação entre as duas variáveis apresenta ligeira redução, afastando os números do governo do limite de alerta da Lei de Responsabilidade Fiscal”, destaca o texto.

Saiba mais
Entre os demais temas presentes no Boletim Econômico Capixaba estão a trajetória da taxa básica de juros, o cenário econômico capixaba, o desempenho industrial e o saldo de operações de crédito na indústria.

Saiba mais acessando a publicação completa:

http://ideies.org.br/dados/

Read More

Recuperação econômica do país é tema do Conexão Cindes

O Conexão Cindes de novembro, promovido pelo Centro da Indústria do Espírito Santo (Cindes) na noite desta quinta-feira (23), teve a participação do economista-chefe do Banco Safra, Carlos Kawall. O encontro reuniu cerca de 200 pessoas e debateu perspectivas econômicas para o Brasil em 2018.

Kawall apresentou projeções que apontam crescimento de 0,7% no PIB nacional deste ano e de 2,5% para 2018. O economista, entretanto, ressaltou os diferenciais do Espírito Santo no cenário atual. “O Estado viveu uma perda excessiva de receitas, mas soube manter suas finanças em ordem com boa gestão”, pontuou.

Para o presidente do Sistema Findes/Cindes, Léo de Castro, o Conexão Cindes vem se consolidando como um espaço para a discussão de temas relevantes para todo o setor produtivo. “Este é o ambiente da convergência, onde podemos reunir comércio, indústria, agricultura, transportes e tantos outros setores. Queremos juntar forças em prol do desenvolvimento do Estado”, destacou.

Criado em setembro deste ano, o Conexão Cindes teve a participação do economista e pesquisador da Fipe/USP, Paulo Tafner, em sua primeira edição, seguido do juiz do TRT do Paraná, Roberto Dala Barba Filho, integrante da comissão de implantação da Reforma Trabalhista, em palestra no mês seguinte.

Read More

Senador da Itália sobre instalação de agência do consulado no ES: “100% de chance”

Durante visita realizada na tarde desta sexta-feira (10) à Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), o senador italiano Fausto Longo garantiu que a agência do Consulado Italiano será instalada no Espírito Santo. “A chance é 100%. A agência será instalada inevitavelmente. Mais de 60% da população do Espírito Santo tem descendência italiana e isso já obriga o governo italiano a oferecer serviços de qualidade para essas pessoas. Além disso o Estado é um ponto estratégico para a Itália pois além de ter um mercado propício a consumir os produtos fabricados no país, possui uma infraestrutura portuária muito robusta”, destacou.

O senador ressaltou, porém, que a Itália está em um momento de instabilidade política e econômica e, por isso, não há prazo para que o projeto se concretize.

Atualmente os capixabas têm muita dificuldade para fazer o agendamento do pedido de cidadania no Rio de Janeiro e, quando conseguem, demoram mais dois anos para conseguir o documento. Porém, caso haja um consulado aqui no Estado, esse prazo deverá ser reduzido à metade. O senador ressaltou ainda que além desses serviços, outros também serão instalados, como aulas de idioma, ações de difusão da cultura e tramitação de pensões para italianos que moram no Estado.

A comunidade italiana no Espírito Santo é a maior do Brasil em proporção ao número de habitantes, tanto que mais de vinte mil capixabas terão direito a voto no próximo pleito que vai eleger um novo parlamento na Itália.

Read More