A produção física da indústria capixaba voltou a crescer no mês de janeiro, segundo dados divulgados pelo IBGE nesta terça-feira, dia 14 de março. O setor registrou alta de 4,1% em relação ao mês de dezembro, obtendo o melhor resultado do país. Na relação com janeiro de 2016, a indústria capixaba teve a segunda maior alta (13,4%), perdendo apenas para o Estado de Pernambuco (14,1%), enquanto a média de crescimento da indústria nacional foi de 1,4%.

Para o diretor executivo do Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies), Dória Porto, a alta expressiva dos números reflete o efeito estatístico causado pela paralisação da Samarco. “Em 2016, a indústria registrou números muito abaixo da média histórica porque a comparação estava sendo feita com 2015, quando a mineradora estava a todo vapor no Espírito Santo. Devemos destacar também o aumento da produção de petróleo, aço e gás natural no Estado”, pontua.

Os principais responsáveis pelo pico da indústria capixaba foram os segmentos de metalurgia (37,6%), alimentos (18,6%) e celulose (3%). Para o presidente do Sistema Findes, Marcos Guerra, o resultado permite traçar perspectivas otimistas para o Estado, mesmo que de forma moderada. “Vimos nos números o impacto que a paralisação da Samarco causou no Espírito Santo. Esse reaquecimento indica que os segmentos estão organizados e buscando soluções para a retomada”, pondera.

Segundo Guerra, o controle das contas públicas, a segurança jurídica e o potencial para atrair novos investimentos poderão movimentar a economia e a indústria neste ano. “Ter resultados positivos atrai a atenção dos investidores. Nosso Estado tem uma vocação muito grande para o desenvolvimento industrial e acredito que, com o retorno da operação da Samarco no segundo semestre, vamos virar essa página triste na história do Espírito Santo”, argumenta.

Por Rafael Porto

Imprimir

Notícias Relacionadas