Uma comitiva formada por 28 representantes da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) expressou seu apoio à retomada das atividades da Samarco durante a audiência pública realizada na cidade de Mariana (MG) nesta quinta-feira (7). Um grupo de Guarapari e Anchieta, onde a mineradora mantem sua sede, também esteve presente.

A audiência pública, que é obrigatória no processo de licenciamento ambiental para permitir a volta da companhia às suas operações, reuniu cerca de 1500 pessoas, entre representantes da sociedade civil organizada e do poder público. Durante o encontro, o presidente da Samarco, Roberto Carvalho, informou que a expectativa é de que a Usina de Pelotização 4 volte a operar a partir de julho do próximo ano e a Usina de Pelotização 3 a partir de dezembro de 2018.

Retomada dos investimentos

A volta do funcionamento da Samarco é aguardada com grande expectativa por atores do setor produtivo capixaba. Léo de Castro, presidente da Findes, já afirmou que a federação está atuando fortemente junto à empresa com o objetivo de superar os entraves que impedem o retorno das atividades da mineradora no Espírito Santo.

“É um desejo de todos nós que a empresa retome as atividades o quanto antes, pois representa 5% do PIB do Espírito Santo. O que a Samarco deixa de arrecadar de ICMS para o Espírito Santo equivale hoje a todo o investimento que o estado está fazendo. Se a Samarco tivesse operando, o estado dobraria a sua capacidade de investimento”, declarou.

 

Licenciamento ambiental

As audiências públicas sobre o Licenciamento Operacional Corretivo do Complexo de Germano foram realizadas nos dias 6 e 7 de dezembro, em Matipó e Mariana (MG), respectivamente, às 19h. Na próxima segunda-feira, 11 de dezembro, está programada a audiência de Ouro Preto, também em Minas Gerais.

Imprimir

Notícias Relacionadas