Precisamos encarar um problema que há anos vem corroendo nossos empregos e renda das famílias brasileiras: o déficit crescente do sistema previdenciário. Ele agrava ainda mais o caos nas contas públicas, aumenta a insegurança econômica, reduz o potencial de crescimento do país e imprime uma urgência inadiável à aprovação da Reforma da Previdência.

Ao promover o reequilíbrio das contas públicas, a reforma da Previdência não beneficiará apenas os aposentados e pensionistas. Toda a sociedade ganhará, pois o ajuste das contas públicas, associado a outras medidas de longo prazo que assegurem competitividade das empresas, promoverá o aumento da produção e dos investimentos, estimulará a criação de empregos, geração de renda e o crescimento sustentável da economia.

 

Gastos com previdência afetam investimentos públicos

O elevado custo com benefícios previdenciários reduz muito o espaço para investimentos públicos. No caso da União, por exemplo, as despesas com benefícios previdenciários e assistenciais correspondem a 56% de todas as despesas primárias e a 63% de toda a receita primária projetadas para 2017.

Previdência x expectativa de vida

Para agravar a situação, a população idosa brasileira está aumentando rapidamente, em razão da enorme queda da taxa de natalidade e do aumento exponencial da expectativa de vida. E com as regras atuais, no futuro próximo, o número de pessoas que contribuem para a Previdência será inferior ao dos que recebem aposentadorias e pensões, ou seja, o atual sistema é insustentável. A conta não fecha!

Por isso convocamos a sociedade para, junto com o setor produtivo, conscientizar nossa bancada federal, deputados e senadores, representantes do povo, para que apoiem a Reforma da Previdência, pois ela corrige várias distorções, é socialmente responsável e indispensável para que o Brasil possa voltar a crescer de forma sustentável.

Clique aqui, saiba mais sobre a Reforma da Previdência e por que ela é tão necessária para o país.