O estudo, “Rotas Estratégicas para o Futuro da Indústria do Espírito Santo – Agroalimentar 2035”, lançado pela Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) e coordenado pelo Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies), começa a render frutos. Aconteceu nesta quinta-feira (03), na sede da Federação, o workshop “Priorização das ações das rotas estratégicas agroalimentar e indústria do café”, sob a condução da Câmara das Indústrias de Alimentos e Bebidas, do Ideies e da Federação das Indústrias do Paraná.

O encontro abriu espaço para o debate de ações prioritárias em curto prazo dos setores agroalimentar e do café, que serão transformadas em projetos. “O mais relevante desse trabalho é dar clareza, método no passo a passo e desenvolver prazos para que realmente possamos sair do lugar. Queremos realizar, ajudar o Espírito Santo a avançar de fato, e de forma consistente”, pontuou o presidente da Findes, Léo de Castro.

Estiveram presentes à reunião representantes de sindicatos, indústrias, Governo do Estado, entre outros setores envolvidos nesse diálogo. A Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) também participou ativamente do encontro, compartilhando o método já usado na Fiep. Na dinâmica utilizada, os presentes interagiram com uma plataforma para inserir informações, que foram computadas em tempo real. O trabalho prossegue para trazer a estudo as medidas a médio e longo prazos.

“O dia foi extremamente produtivo para a Findes. Encerramos uma primeira fase de um projeto que já vem sendo desenhado há algum tempo com o Programa Indústria 2035. Conseguimos reunir na Federação representantes de todos os setores da cadeia alimentar, desde o produtor até quem está na ponta, vendendo para o cliente”, ressaltou o executivo da Câmara Setorial das Indústrias de Alimentos e Bebidas, Fábio Ribeiro Dias.

O próximo passo é tratar das 100 prioridades eleitas pelos presentes ao final do workshop, transformando-as em projetos. “Os representantes do segmento agroalimentar a café foram claros ao dizer que não devemos olhar apenas para a indústria, nem só para o comércio ou o agro isoladamente. Precisamos entender toda essa cadeia do setor agroalimentar”, salientou Dias.

Rotas

As Rotas Estratégicas fazem parte do Indústria 2035, programa de desenvolvimento de longo prazo para a indústria capixaba, baseado em estudos econômicos e estratégias para a identificação dos setores portadores de futuro e a construção das Rotas Estratégicas Setoriais. Para a construção da Rota Estratégica Agroalimentar foram ouvidos 65 especialistas do setor Agroalimentar, entre eles empresários, representantes de governo e acadêmicos.

“O setor agroalimentar possui unidades produtivas em todos os municípios e gera emprego em todo o estado. Quando fazemos uma política de desenvolvimento desse setor, atingimos todo o Espírito Santo”, declarou o economista-chefe do Sistema Findes e diretor executivo do Ideies, Marcelo Saintive, na oportunidade do lançamento da rota.

Por Marcella Andrade

Imprimir