“2018 é o ano do início da morte dos smartphones”. Ficou espantado? Esta é apenas uma das análises do economista e palestrante do último encontro do ano do Fórum de Debates das Micro e Pequenas Empresas Industriais, Allan Costa. Mas pode ficar calmo: nós não vamos perder todas as funcionalidades que os telefones inteligentes nos proporcionam: a tendência é de que novos gadgets, como os dispositivos ‘wearable” (vestíveis), a exemplo do Google Glass, Apple Watch e etc. sejam os protagonistas, ao lado de aparelhos celulares completamente reformulados, com reconhecimento por comando de voz e facial dominando as utilizações no lugar do touch screen.

Além das novas tecnologias que já estão revolucionando o mundo e estarão cada vez mais presentes na indústria e no cotidiano em geral, Costa falou sobre inovação e procurou desmistificar a ideia de que uma coisa está sempre ligada à outra. Inovação não é igual a tecnologia; inovar é entender o problema de quem está do outro lado e resolver esse problema, trazer alívio para as dores do cotidiano. Inovação não depende de tecnologia, não depende de dinheiro, depende de entender quem está do outro lado”, explica.

Dezenas de empresários, CEOs e gestores compareceram ao encontro, que aconteceu no auditório do Edifício Findes e acompanharam, interessados, as tendências para 2019, as projeções de inovações tecnológicas e avanço de empresas e mentalidades “disruptivas”. Os empresários também puderam participar fazendo perguntas ao final da fala do palestrante.

A palestra de Allan, que é investidor-anjo, empreendedor serial e consultor de empresas nacionais, foi a última do ciclo promovido pelo Conselho Temático de Micro e Pequenas Empresas Industriais (Compem).

Imprimir

Notícias Relacionadas