Baixa histórica da Selic não foi suficiente para aumentar empréstimos

O saldo de operações de crédito no Espírito Santo registrou recuo de 0,7% em fevereiro, na comparação direta com fevereiro de 2018. A queda foi superior à média nacional (-0,3%) no mesmo período, conforme dados do Banco Central analisados pelo Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Estado (Ideies) no último Boletim Econômico Capixaba.

A taxa de inadimplência capixaba em fevereiro também apresentou redução de 0,6 p.p., atingindo 3,7%. Segundo o diretor-executivo do Ideies, Marcelo Saintive, chama a atenção que o spread bancário tenha sofrido alta neste ano. “A taxa Selic está no piso histórico, a inadimplência vem registrando queda, mas o spreadcresceu 1,2 p.p. em fevereiro e 1 p.p. em janeiro. A recuperação nas vendas do comércio e da produção industrial poderiam ser aceleradas pela redução dos juros, estimulando a demanda”, destacou.

O Boletim mostra, ainda, que os juros para pessoas físicas revelaram o maior acréscimo, com 2 p.p. a mais em fevereiro, alcançando 49,2% de spread. “Embora o país tenha cerca de 150 bancos, quatro grandes instituições concentram 75% do mercado, o que dificulta a concorrência. A regulamentação das fintechs (startups financeiras) poderia estimular análises de crédito mais precisas, ágeis e eficientes, com custos menores”, argumentou Saintive.

Leia a íntegra do Boletim Econômico Capixaba no site do Ideies

 

Por: Rafael Porto

Imprimir

Notícias Relacionadas