“É primordial que a Federação apoie as agendas estratégicas do Estado e faça com que elas saiam do papel”, afirmou o presidente da Findes, Léo de Castro, no segundo dia de programação do XI Meeting de Líderes Industriais, realizado neste sábado (08), na Pousada Pedra Azul, em Domingos Martins.

Para o presidente, é preciso ter um senso de emergência para colocar o Brasil no trilho. “Estamos desde de 2014 andando para trás ou para o lado. Cinco anos vivendo uma crise no Brasil, estagnados. E nós, empresários, somos sobreviventes. Por isso, precisamos tirar os assuntos da pauta e fazer dar certo. E uma das agendas prioritárias da Findes é a de infraestrutura. Há uma urgência para resolver os entraves e avançarmos no desenvolvimento do Estado”.

Para que esse avanço aconteça, resolver antigos gargalos é fundamental. Para o atual Ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o panorama do Espírito Santo é positivo e os entraves de infraestrutura vão ser resolvidos. “Recentemente começamos duas obras: o acesso ao Porto de Capuaba e o contorno do Mestre Álvaro. O TCU vai liberar 7km de obras da BR 262 que estavam paralisadas. E já estamos com uma previsão de tentar construir uma solução para seguir na EF 118. Nós temos uma prioridade e um compromisso com a logística do Espírito Santo”, relatou.

Já o co-fundador da mineira Wäls Cerveja Art e um dos sócios da Ambev, José Felipe Carneiro, contou um pouco sobre sua história como empreendedor e da importância de trabalhar em conjunto. “Não foi fácil chegar onde estou agora. Já quase fali diversas vezes e mesmo estando no mercado mundial, ainda tenho que inovar todos os dias e provar que a minha cerveja é boa. Mas para isso, é essencial ter pessoas melhores que eu na equipe, objetivos transparentes e direcionamento no propósito. Para o negócio dar certo, temos que negociar e dialogar. E o Sistema Findes está aí para orientar e propor diálogo. Espero que vocês, empresários, possam colocar o Estado como destaque na economia do mundo”, disse.

O último palestrante do dia foi o jornalista William Waack que abordou o cenário político e econômico do país. Segundo ele, a situação do Brasil não é nova. “O que vivemos hoje já vem de outros governos. A corrupção é um dos grandes problemas do país, mas, para mim, não é a pior. Nossa maior crise é a falta de lideranças com visão e com capacidade de articulação. Não haverá solução possível sem que haja muitos perdedores. O legislativo está ficando mais forte e cercando o poder executivo. E o ponto chave hoje é a Reforma da Previdência. Temos que ter a consciência que é necessário e ponto final”, ressaltou.

O Meeting também contou com a presença do secretário de Estado de Governo, Tyago Hoffmann, e do ministro da Cidadania em exercício, Lelo Coimbra.

Na manhã de sábado também foi promovida uma programação alternativa com palestra da publicitária Flávia da Veiga sobre “Felicidade”.

O evento foi patrocinado pela ArcelorMittal, Biancogrês, Bandes, Garoto, Suzano, Damare, Abreu Júdice Advogados, Faesa, Imetame, Sicoob, Unimed, Vale e VLI.

 

Por Natalia Magalhães

Imprimir