A última edição do Fato Econômico Capixaba, produto do Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies), trata da importância do setor de metalmecânica no Estado, que corresponde às atividades industriais ligadas à extração e à transformação de minerais não-metálicos, juntamente com a fabricação de máquinas e equipamentos.

A publicação destaca que o setor se desenvolveu no Espírito Santo com a implementação dos grandes projetos industriais, principalmente, na década de 1970 com a vinda de investimentos do II Plano Nacional de Desenvolvimento.

Em 2016, segundo dados do IBGE analisados pelo Ideies, o setor de metalmecânica empregou mais de 34 mil pessoas, em 2.098 unidades industriais de 54 municípios capixabas. A Serra, localizada na Região Metropolitana, se destaca por concentrar 38,4% dos vínculos empregatícios e 21% dos estabelecimentos do setor.

Quando considerados todos os elos da cadeia produtiva do setor, o número de empregos e empresas no Estado se eleva. Diversas atividades industriais e serviços de apoio se desenvolveram devido à demanda, por parte da indústria metalmecânica, de fornecedores e prestadores de serviços.

A produtividade do setor

Ao comparar a produtividade do setor no Estado com a do Brasil, por meio da produtividade relativa, constatou-se que, durante os anos de 2007 a 2015, a metalmecânica capixaba apresentou maiores níveis de produtividade que a do país, sendo 21% maior nesse último ano. Somente em 2016, influenciada pela paralisação da Samarco, essa relação ficou 14% menor do que a média brasileira.

Mercado externo

O desempenho e a produtividade da metalmecânica no Espírito Santo tornaram o setor capixaba competitivo no mercado externo. Em 2017, o Estado exportou FOB U$ 4,5 bilhões em produtos do setor, o que representou 43,3% das exportações industriais espírito-santense. Destaque para a predominância do segmento de produtos de metal, responsável por U$ 2,4 bilhões.

Competitividade

A competição mundial e a pressão por redução de impactos ambientais têm impulsionado o setor metalmecânico a adotar processos mais eficientes, sustentáveis e de menor custo, juntamente com a implementação das novas tecnologias da Indústria 4.0 (big data, plantas industriais inteligentes e automação de processos).

Os anúncios feitos pela ArcelorMittal Tubarão e a Vale, no primeiro dia da 11ª MEC SHOW – Feira da Metalmecânica + Inovação Industrial, sobre os mais de R$ 1,8 bilhão em projetos para a redução de emissão de poluentes no Espírito Santo, deverão aquecer o setor metalmecânico e da construção civil, com geração de emprego e demandas de produtos e serviços.

O presidente do Sindifer, Lúcio Dalla Bernardina, reforçou a importância da MEC SHOW como espaço de apresentação de produtos tecnológicos e de inovação, fortalecendo os negócios, além da programação paralela rica e atrativa aos profissionais e dirigentes. “São programações que englobam todos os setores da indústria, com assuntos para micro e pequenas empresas de tecnologia, setor de automação com minicursos e trabalhos técnicos, premiação para empresas com os melhores projetos de inovação, rodada de negócios, Indústria 4.0, além de palestras e workshops”.

Já o coordenador do Fórum Capixaba de Petróleo e Gás, Durval Vieira de Freitas, destacou o desenvolvimento da indústria de petróleo e gás do Espírito Santo, o crescimento da presença de novas operadoras e das oportunidades a serem criadas para as empresas locais em projetos do setor. Ressaltou ainda a parceria com as grandes indústrias e também a importância da educação e inovação no segmento.

Em seu discurso, o presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Léo de Castro, enfatizou que os bons exemplos de empresas capixabas no segmento metalmecânico. “Queremos uma indústria que inova, cria novos produtos, aumenta a eficiência de seus processos, intensifica ações de segurança do trabalhador e faz do Espírito Santo uma referência em produtividade. Temos bons exemplos, como Imetame e Brametal, comprovando que é possível competir na cadeia produtiva de petróleo e gás. Por meio do Sesi e do Senai, temos estimulado ações que auxiliam esse propósito”, disse.

A Feira

Considerada uma das feiras mais importantes do setor no Brasil, a 11ª MEC SHOW – Feira da Metalmecânica + Inovação Industrial – reúne 150 expositores com foco em negócios, conteúdo e inovação.

Confira a publicação completa.

Por Cinthia Pimentel e assessoria MEC Show

Imprimir

Notícias Relacionadas