O diretor regional do Senai, Mateus de Freitas, explicou a Mobilização Capixaba pela Inovação.

Na tarde desta terça-feira (14), o auditório da Findes recebeu representantes do Governo do Estado, das instituições de ensino médio e superior, entidades do movimento empresarial, pesquisadores e empreendedores, para a primeira reunião de trabalho da Mobilização Capixaba pela Inovação (MCI).

A Mobilização Capixaba pela Inovação, coordenada pela Findes, é um movimento que reúne instituições públicas e privadas para discutir, desenvolver e coordenar ações do setor produtivo que estimulem a inovação no Estado, de forma a atrair negócios, gerar emprego e renda. A MCI envolve Governo do Estado, Findes, UFES, UVV, IFES, Vale, ArcelorMittal, Fibria, ES Em Ação e Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor do Espírito Santo (Sincades).

Presente no lançamento, o governador Paulo Hartung ressaltou a importância dessa iniciativa conjunta entre o Governo, a academia e o empresariado: “O papel de líder é motivar, convencer e mobilizar. É importante fazermos isso aqui na Findes, uma instituição do nosso Estado, que já ajudou os capixabas a reinventar nossa economia. Temos que dar espaço para essa inovação chegar no dia a dia da produção. Não temos que ter preconceito. Há espaço para todo mundo. Temos que transformar esse evento no futuro econômico do Estado”, disse.

“O nosso Estado é muito pequeno, por isso, precisamos nos organizar rumo ao mesmo norte. A ideia é juntar o Governo, a academia e o setor produtivo para entendermos quais são as demandas da inovação e quais são as soluções que traremos”, ressaltou a secretária de Estado de Ciência, Tecnologia, Inovação, Educação Profissional e Trabalho, Camila Dalla Brandão.

O diretor regional do Senai, Mateus de Freitas, explicou que a Mobilização nasceu diante de um olhar para as questões de inovação do Espírito Santo, a partir de um ranking em que coloca o Estado em 14º lugar no quesito inovação. “É uma colocação mediana e com uma certa inquietude passamos a nos reunir com diferentes atores do ecossistema de inovação para desenvolvermos a competitividade capixaba”, ressaltou.

Para o presidente da Findes, Léo de Castro, a Mobilização busca atender as reais necessidades do mercado. “A inovação precisa gerar produtividade e ampliar a competitividade das empresas. O mundo globalizado exige a melhoria dos processos, fazendo mais com menos, quer seja no transporte, na agricultura, na indústria, no comércio, nos serviços ou no setor público. O Espírito Santo inicia um ciclo que vai contribuir para a transformação socioeconômica do Estado”, argumentou Castro.

Por Cinthia Pimentel

Imprimir

Notícias Relacionadas