A paralisação dos caminhoneiros, em protesto contra a política de preços da Petrobras, vem gerando graves prejuízos para a economia capixaba e, consequentemente, para a população em geral.

O Fórum de Entidades e Federações (FEF) defende o livre mercado e lembra que a interferência do Governo Federal na política de preços de combustíveis na gestão passada contribuiu decisivamente para a crise na estatal e no setor de óleo e gás.

O monopólio do refino da Petrobras também contribui para o desajuste e precisa ser revisto. A livre concorrência já se mostrou como decisão acertada após o fim da exclusividade na exploração do pré-sal.

O FEF sempre defenderá o diálogo como melhor caminho e repudia firmemente qualquer movimento que impeça a atividade econômica e o direito de ir e vir da população.

A paralisação dos caminhoneiros prejudica diferentes segmentos da economia, causando atraso na chegada de matérias-primas e na reposição dos estoques de supermercados, escolas e hospitais.

Além do risco de desabastecimento para a população, o movimento coloca em risco os empregos gerados pelo setor produtivo – de janeiro a abril, foram criados 9.381 novos postos de trabalho no Estado.

O FEF repudia a estratégia de negociação do Governo Federal com o movimento, condicionando a suspensão da Cide à reoneração da folha de pagamento em setores com uso intensivo de mão de obra – como as indústrias de confecção, o telemarketing e o transporte de cargas.

Estamos em diálogo permanente com o Governo Estadual e a Polícia Rodoviária Federal, solicitando apoio nos pontos de paralisação em casos urgentes, como o abastecimento de hospitais.

Por se tratar de um movimento nacional, o FEF está levando as demandas do setor produtivo aos membros da bancada federal capixaba e suas respectivas confederações patronais.

A normalização das atividades é essencial para a recuperação dos prejuízos já registrados. Para que isso ocorra, defendemos a manutenção de um canal aberto de diálogo entre a categoria e o Governo Federal, acompanhada da liberação imediata das principais rodovias do país.

Fórum de Entidades e Federações do Espírito Santo
Fetransportes, Fecomércio, Faes, Findes e Espírito Santo em Ação

Imprimir