O avanço da tecnologia vem ditando novos hábitos na sociedade moderna. E isso inclui, claro, novas práticas no meio empresarial, sobretudo nos processos do setor industrial. E é desse novo contexto que surge a Indústria 4.0: um setor mais inteligente e antenado com os anseios de seus clientes, que une a tecnologia em prol de processos mais enxutos, mais certeiros e produtos com a cara do consumidor final.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) estima que oito áreas irão sofrer grandes impactos com as novas tecnologias introduzidas pela 4ª Revolução Industrial. Esse é um processo que não visa apenas tornar a produção industrial mais barata, sustentável e eficiente, mas também fornecer melhores serviços e nar o trabalho mais humano.

A área automotiva é uma delas. O Senai prevê que tecnologias como robótica colaborativa e comunicação entre máquinas por meio da Internet das Coisas (IoT) vão impactar fortemente as etapas de concepção e produção da área.

Se liga nas demais áreas que devem sofrer profundas mudanças com a era da manufatura avançada:

1. Automotivo

Esse setor tem se beneficiado das ferramentas da Indústria 4.0 para aumentar sua produtividade e atender critérios mais específicos e personalizados de um consumidor cada vez mais exigente que busca mais tecnologia, segurança e conforto. Dentro desse contexto, as transformações no segmento se dão pelo aumento do  uso das tecnologias relacionadas à robotização colaborativa das linhas de produção, comunicação de máquinas por meio da internet das coisas (IoT), impressoras 3D e simuladores de processo, que impactará fortemente nas etapas de concepção e processo produtivo do setor automotivo.

2. Alimentos e Bebidas

As ferramentas da Indústria 4.0 proporcionam ao setor de alimentos e bebidas produzir com qualidade, segurança, economia e de forma sustentável.  Assim, como transformação  para os próximos anos, teremos: empresas usando softwares avançados para controle de processos e implantação de processos álcoolquímicos para produção de eteno, butadieno, butanol, acetaldeído, entre outros; o uso de big data e softwares para previsão orçamentária industrial (global e setorial), e o uso de drones para monitoramento e segurança das áreas de plantio.

3. Máquinas e Ferramentas

A Indústria 4.0 tem beneficiado o setor ao unir as novas tecnologias a processos e mudanças incrementais em máquinas e equipamentos existentes nas linhas de produção. Um exemplo de mudança no setor é o aumento do uso das tecnologias de realidade virtual, manufatura aditiva, bem como de máquinas-ferramenta com maior velocidade e maior precisão; além do uso de novos materiais, notadamente os de base polimérica, cerâmica e de nanotubos de carbono; o setor também adotará a robotização da produção nas etapas de soldagem e montagem.

4. Petróleo e Gás

A transformação digital no setor industrial de Petróleo e Gás trará benefícios para os pontos de exploração, já que cada um possui uma geografia diferente e, portanto, requerem adaptações e atenção específicos. Entram nesse contexto, os sensores inteligentes da Internet das Coisas (IoT) que permite acompanhar o funcionamento de válvulas do setor de óleo e gás, por exemplo, e saber se elas foram abertas, fechadas, se estão vazando, se a temperatura e o volume de processamento estão adequados. O que contribui com uma manutenção mais assertiva e deslocamento inteligente de produção.

5. Têxtil e Vestuário

Nestes setores, a Indústria 4.0 está causando uma verdadeira revolução, já que suas tecnologias e ferramentas são capazes de criar, com baixo custo, produtos diferenciados e personalizados que atendem a um tipo de consumidor que quer exclusividade com alto nível de qualidade. Neste contexto, temos a incorporação das tecnologias digitais (modelagem e simulação), principalmente nas etapas de criação, concepção e prototipagem de produtos na busca pela máxima customização de produtos; o uso de smart clothes, que permitem diversos tipos de informação provenientes da interação do fio, do tecido ou da roupa com o corpo e com o ambiente; o aumento da automação em diversas partes da costura (medidas em 3D e visão de máquina).

6. Química e Petroquímica

Um dos setores mais avançados na aplicação de novas tecnologias, a 4ª Revolução Industrial tem contribuído para transformações profundas na forma de produzir das empresas que atuam na área. Neste setor, as mudanças devem impactar em um dos quatro subgrupos de conhecimento da Engenharia Química, a chamada Engenharia de Processos, que compreende a concepção, o dimensionamento e a análise dos processos industriais. Como mudanças, o levantamento aponta a automação dos processos contínuos e robotização dos processos discretos; o uso mais intensivo de internet das coisas (IoT) na comunicação entre etapas dos processos produtivos e coleta de informações de mercado que afetem a produção; o desenvolvimento de novos produtos, aplicando os conceitos de nano e biotecnologia, além de novas composições poliméricas para tintas, vernizes e fibras sintéticas

7. Tecnologias da Informação e Comunicação

Esse setor é um dos mais influenciados por novas tecnologias. Desde a invenção do telégrafo até o uso de ferramentas digitais, ele sempre foi fundamental para o desenvolvimento das sociedades e dentro do contexto da 4ª Revolução Industrial, o segmento se torna importante ao se integrar aos processos de automação da manufatura avançada. O destaque é para a digitalização das etapas dos processos produtivos, do uso da internet das coisas (IoT) e das redes wireless nas linhas produtivas e na comunicação entre robôs.

8. Construção Civil

Familiarizado em implementar novas tecnologias em seus processos, com o uso da domótica (automação predial) e da internet das coisas (IoT) para reunir informações detalhadas do que ocorre no canteiro de obras em tempo real e automatizar processos – como pedidos de novos materiais e ferramentas e dos materiais inteligentes; o uso de novos materiais como concretos translúcidos e que se auto reparam, além de novas tecnologias para conforto térmico e acústico.

Senai na Indústria 4.0

O Senai adotou uma mudança de postura importante diante o advento da Indústria 4.0, reformulando o seu portfólio de cursos e consultorias, além da criação e implementação dos Institutos Senai de Tecnologia (IST), os laboratórios abertos que colocam à disposição do setor industrial equipamentos de primeira geração, como as impressoras 3D.

A entidade vem contribuir com o setor e mostrar que a sobrevivência das empresas dependem da inovação. Os cursos e serviços do Senai entram em convergência com essa nova era, para desenvolver novas competências e habilitar o trabalhador da indústria para essa nova realidade. Essa preparação vem de forma dinâmica nas salas de aula do Senai, por meio da Educação Maker.

O Senai apresenta um vasto portfólio voltado para esse novo contexto, como os cursos de Indústria Avançada (Conectando Conceitos na Prática, explorando a Big Data e  programação móvel para IOT), o curso técnico em Mecatrônica, além do Pós-técnico em Produtividade, Aperfeiçoamentos em Lean Manufacturing (MBA em Lean Manufacturing).

Quer saber mais sobre os cursos e serviços oferecidos pelo Senai-ES? Clique aqui!

 

Por Fiorella Gomes

Imprimir

Notícias Relacionadas