O Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies) deu início à primeira etapa do projeto “Indústria 2035”. A iniciativa vai identificar setores com potencial de crescimento e definir estratégias para impulsionar o desenvolvimento da indústria capixaba.  Realizados em Venda Nova do Imigrante e Cachoeiro de Itapemirim, os painéis reuniram aproximadamente 70 lideranças das regiões serrana e sul.

Participam empresários dos 40 municípios que compõem a região, representando diferentes segmentos da economia, como indústria, comércio e turismo, além técnicos da academia e do poder público, colaboradores do Ideies e da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP) – responsável pela metodologia aplicada. A gerente de Estudos Econômicos do Ideies, Silvia Varejão, detalhou as etapas do projeto.

“Este não é um novo planejamento do Espírito Santo, é a indústria fazendo sua parte, aproveitando a base contida no ‘ES 2030’. Primeiro, estamos promovendo encontros para identificar setores portadores de futuro; depois, faremos a construção coletiva das rotas estratégicas, que são os caminhos possíveis; por fim, teremos no observatório da indústria informações para monitorar as metas traçadas”, argumentou Varejão.

A participação da FIEP se deve ao trabalho de planejamento e aos resultados colhidos pelo Paraná entre 2002 e 2015: o valor adicionado da indústria de transformação paranaense cresceu mais de 20%, enquanto o Espírito Santo, no mesmo período, se manteve estagnado. Para o presidente do Sistema Findes, Léo de Castro, é preciso planejar o futuro olhando bons exemplos no Brasil e no mundo.

“Estamos atentos às transformações do mundo, mudanças que trazem desafios e oportunidades. Buscamos parcerias que deem profundidade ao nosso planejamento para fazer nossas indústrias mais produtivas e competitivas. O setor industrial representa um terço da economia capixaba, enraíza investimentos e irradia oportunidades para toda a cadeia produtiva. Precisamos colocar um olhar no futuro e traçar planos de longo prazo”, enfatizou o presidente do Sistema Findes.

Para o industrial da região serrana, Denilson Potratz, que atua no segmento de alimentos, o projeto surpreendeu positivamente. “Queremos uma indústria mais inovadora e produtiva. É bom conhecer as tendências do setor e saber a direção para onde estamos caminhando”, comemorou. O industrial Ubirajara Tavares, da região sul, da indústria gráfica, elogiou a iniciativa. “O diálogo e a aproximação dos setores fortalecem o planejamento e constroem um futuro melhor para a indústria”, defendeu.

Conheça as etapas do Indústria 2035

Setores Portadores de Futuro

Por meio de um processo de inteligência coletiva, com a incorporação de conhecimentos de macrotendências setoriais e tendências tecnológicas, serão identificados os setores, segmentos e áreas mais promissores para o desenvolvimento do Espírito Santo.

Rotas estratégicas

Construção coletiva dos caminhos possíveis de desenvolvimento dos Setores Portadores de Futuro, com a identificação de entraves existentes, ações resolutivas e tecnologias-chaves para a competitividade dos setores, segmentos e áreas.

Observatório da Indústria

Sistema de inteligência competitiva, com informações que permitirão monitorar metas traçadas nas rotas estratégicas.

Imprimir

Notícias Relacionadas