Dois projetos capixabas aprovaram R$ 1,3 milhão no Edital de Inovação para a Indústria, promovido nacionalmente por Sesi e Senai. Neste ano, o Edital atingiu a marca de mil projetos selecionados e R$ 545 milhões investidos nos últimos 14 anos. A indústria capixaba esteve representada com uma tinta térmica desenvolvida no Grupo Argalit e um dispositivo ergonômico para troca de dormentes projetado pela Vale.

“Estávamos desde 2014 sem conseguir aprovação em um edital e, neste ano, somamos R$ 2,7 milhões em cinco projetos. Os dois selecionados agora têm histórias muito interessantes e mostram como o recurso é apenas um dos elementos para a inovação acontecer. Precisamos de um ecossistema cada vez mais forte, com ambientes, pessoas e método”, argumenta a diretora de Inovação e Tecnologia de Sesi e Senai, Juliana Gavini.

 

Tinta térmica

Focada nas demandas da indústria de petróleo e gás, a tinta Hipercoat utiliza nanotecnologia para evitar a corrosão e preservar a temperatura em tubos de transferência de gás. Segundo o CEO da Argalit, Raphael Cassaro, a nova tinta custa 30% a menos que o produto similar utilizado no mercado internacional. “Essa demanda existe há bastante tempo e que agora poderemos aperfeiçoar para atender plenamente o setor”, celebrou.

“A grande vantagem da tinta é a manutenção da temperatura, não sofrendo interferência das intempéries externas, principalmente em estruturas metálicas e tubulações, podendo ser aplicada em qualquer recipiente que precise manter a temperatura. Acreditamos que há um grande mercado nacional e internacional para o produto”, argumentou Cassaro. O projeto foi aprovado com um volume total de R$ 634 mil no Edital.

 

Ferrovia

A troca de dormentes nas estradas de ferro é uma tarefa manual que exige esforço físico intenso do trabalhador. O novo projeto, o único de ergonomia contemplado no país, prevê o desenvolvimento de um dispositivo ergonômico que melhore a qualidade de vida e a produtividade dos profissionais. Para este projeto, estão previstos R$ 686 mil.

A diretora de Tecnologia e Inovação de Sesi e Senai, Juliana Gavini, reforçou a importância do método no processo de inovação da empresa. “No projeto da Vale, um trabalho de design thinking reunindo diferentes profissionais provocou insights  e desdobrou neste projeto, a ser desenvolvido em rede, com muitas parcerias. Um projeto não nasce de um dia para o outro, ele se concretiza à medida em que boas ideias encontram método para avançar”, exemplificou.

 

Edital

O Edital de Inovação para a Indústria, um dos mais duradouros e estáveis instrumentos de fomento no Brasil, ajudou mais de 800 empresas a serem competitivas por meio de novos produtos e processos inovadores, desde que foi criado em 2004. A iniciativa é do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do Serviço Social da Indústria (Sesi).

Além de fomento, as empresas selecionadas contam com apoio da infraestrutura da rede de 26 Institutos SENAI de Inovação e dos 58 Institutos SENAI de Tecnologia. O objetivo é estimular o desenvolvimento de soluções inovadoras para a indústria brasileira, sejam novos produtos, processos ou serviços de caráter inovador, incremental ou radical.

No Espírito Santo, o ponto focal para acesso ao Edital e à rede Senai é o Instituto Senai de Tecnologia em Eficiência Operacional, localizado no Senai Vitória.

 

Por Rafael Porto

Imprimir

Notícias Relacionadas